Belém pode ter o primeiro sistema integrado de transporte público com redução de CO2

15 de abril 2010

Meio Ambiente | Um Comentário

A Região Metropolitana de Belém poderá ser a primeira capital brasileira a ter um sistema integrado de transporte público associado a um programa de redução de emissão de gás carbônico. Para conseguir pôr a ideia em prática o governo do Pará pleiteia junto à Agência Internacional do Japão (Jica) um empréstimo de R$ 420 milhões.

Um termo de compromisso, que permite o acesso ao empréstimo inicial de R$ 320 milhões do Governo do Japão, já foi assinado pela Agência e o Governo do Pará. De acordo com o chefe da delegação da Jica, Katsuhiko Haga, o processo deve ser acelerado, para que ainda em abril o empréstimo seja aprovado pelo governo japonês. Ele comparou as negociações com o governo do Pará a “um longo namoro, que se firma com um casamento feliz”.

Até agosto deste ano, técnicos da Agência Internacional do Japão (Jica) iniciam os estudos de mensuração da redução da emissão de CO2 na Grande Belém. Eles vão fazer uma comparação entre a emissão atual e a que existirá quando o Sistema Integrado de Transporte Metropolitano for implementado. Segundo Paulo Ribeiro, coordenador de planejamento do programa Ação Metrópole, onde está inserido o projeto, a redução de CO2 será possível porque o Sistema Integrado de Transporte Metropolitano prevê a redução significativa do número da frota de ônibus, que passarão a circular nos corredores exclusivos e preferenciais construídos na Região Metropolitana de Belém. “O tempo de parada desses veículos nos engarrafamentos será menor contribuindo para a diminuição da emissão de dióxido de carbono na atmosfera”, explica. Com esses dados, o governo do Pará pretende captar recursos junto ao mercado de carbono, a título de compensação ambiental.

A criação do sistema integrado de transporte público irá beneficiar dois milhões de pessoas moradores da Região Metropolitana de Belém (RMB). “Para os usuários do transporte coletivo teremos a melhoria da oferta do sistema de transporte na periferia. À medida que se racionaliza o sistema (troncaliza), haverá linhas percorrendo vias segregadas com veículos de maior capacidade, reduzindo o número de ônibus convencionais que hoje circulam nas vias com tráfego compartilhado. Então isso irá aumentar a capacidade dessas vias.” comentou o coordenador de planejamento do projeto, o arquiteto e urbanista Paulo Ribeiro.

Fonte: Portal do Meio Ambiente

1 Comentário

  • Karunia disse:

    I must show thanks to this wrietr for rescuing me from this particular trouble. Just after checking through the internet and meeting advice that were not productive, I believed my life was gone. Being alive minus the answers to the issues you have sorted out all through your blog post is a serious case, and ones which could have in a wrong way affected my entire career if I had not discovered your site. Your main competence and kindness in controlling all the things was valuable. I am not sure what I would have done if I hadn’t come across such a subject like this. It’s possible to now look forward to my future. Thanks so much for this professional and effective guide. I will not think twice to refer your site to anybody who should get tips about this issue.

Deixe o seu comentário!

6  +  3  =  

ML, SUA ADMINISTRADORA DE VERDADE!

CENTRO

Praça Olavo Bilac, 28 – Gr. 1608

(21) 3032-6400

ILHA DO GOVERNADOR

Estr. do Galeão, 994 – Gr. 220

(21) 3195-2553

SOLICITE UMA PROPOSTA