Os corredores de uma casa ou empresa são, muitas vezes, esquecidos na hora da decoração de interiores. Ambientes de passagem, não têm, em muitos casos, seu espaço aproveitado da melhor forma, e nem enfeitado, não é verdade?!

Por isso, o post de hoje vem falando da decoração de corredores, com quatro dicas super fáceis, a seguir, sobre como incrementar esse espaço, dando, além de beleza e personalidade, muita utilidade ao espaço. Confira!

- Móveis: o pequeno espaço do corredor pode ser muito bem aproveitado com móveis funcionais, planejados. Essa opção ajuda a organizar objetos, como livros, sapatos e louças, por exemplo, aproveitando ao máximo o espaço disponível.

- Prateleiras: prateleiras são opções baratas e práticas, que se encaixam em quase todos os ambientes. Além disso, também servem como lugar de estocagem de objetos de decoração, dando um charme, ou outros, como livros, DVDs e porta retratos.

- Fotografias: uma forma de personalizar o ambiente, aliando, é claro, a decoração, é usando fotografias. Assim, o álbum de fotos da família fica menos abarrotado, e as imagens ganham destaque, sendo valorizadas.

- Espelhos: um bom espelho vai bem em qualquer ambiente, não é? Nesse caso, que tal montar uma parede de espelhos?! Você pode utilizar um ou dois espelhos grandes (tanto na horizontal, quanto na vertical), ou fazer uma montagem de vários menores em molduras elaboradas. Fica um charme!

E então, gostaram das dicas de hoje?! São opções que se encaixam em qualquer local, independente dos estilos dos moradores da casa ou dos frequentadores do escritório. São ótimas alternativas para quebrar a monotonia e o mau aproveitamento do espaço. Esperamos ter te inspirado! ;)

O uso das áreas comuns do prédio costuma gerar alguns conflitos. Se em relação à(s) piscina(s) do condomínio, as dúvidas podem ser ainda maiores, não é verdade?! E, como estamos no período de férias, quando os prédios costumam ficar mais cheios e com mais visitantes, pode haver mais problemas.

Essa é uma questão que pode gerar muita polêmica. Por isso, resolvemos trazer esse assunto para o post de hoje, tentando ajudar a sanar as dúvidas dele, explicando algumas questões específicas e evitando discussões e confusões entre os condôminos. Confira abaixo!

A utilização das piscinas dos condomínios podem funcionar de forma melhor e mais segura com a colaboração de todos – banhistas, síndicos e funcionários. A manutenção das piscinas deve estar sempre em dia, para evitar acidentes, assim como informações, como profundidade e desníveis, por exemplo, devem ser oferecidas a seus usuários. A presença de um guardião também é essencial para o seu funcionamento.

Em relação aos visitantes, o que acontece é que muitos Regimentos Internos e/ou Convenções de condomínios proíbem ou restringem a sua utilização das áreas comuns, como é o caso da piscina, prezando pelo maior conforto dos próprios condôminos do prédio.

Vale ressaltar que as piscinas são feitas para atender ao público interno do condomínio, e não a uma quantidade maior de pessoas. Além disso, o barulho, maiores custos com manutenção etc., que o uso por parte dos visitantes gera, pode ser simplificado com proibições ou algumas regras específicas ao caso.

Também é importante destacar que, caso não haja essa proibição ou regularização do uso das áreas comuns há um bom tempo, ficará cada vez mais difícil implantá-la depois, principalmente em período de férias. Porém, antes tarde do que nunca. Se seu condomínio não possui regras de uso da piscina, providencie-as o quanto antes!

Para quem infringir as obrigações previstas no Regimento Interno do Condomínio, as penalidades variam de uma simples advertência a multas. Também pode haver interdição da piscina, ou, em casos mais graves, cassação de autorização para funcionamento da área. Essas penalidades são administrativas, ou seja, os infratores ainda podem responder civil e penalmente pela desobediência às normas.

Então, para resumir e concluir, a definição de:

- quem pode utilizar a área;

- quantidade de convidados;

- proibição deles (convidados);

- necessidade ou não de atestado médico para utilização da piscina…

…entre outros tópicos, é de responsabilidade do Regulamento Interno e da Convenção de cada condomínio. É bom ficar atento! ;)